AnimeTopic 002 - Given

Olá jovens e não tão jovens!
Estamos aqui novamente, site voltando aos trilhos, nem parece que sou eu escrevendo né? haha
Já tava devendo essa obra faz um tempinho, me marcou bastante por diversos motivos, primeiro por vir de um gênero onde sinceramente nunca espero nada de produtivo, mas que acabou sendo uma grata surpresa, fiquei realmente triste por ser tão curta. Antes de me acusarem de homofobia e/ou machismo, dentre outros, também detesto Yuri e qualquer outro tipo de obra que sirva apenas para fanservice/fetiche, como hentai por exemplo. Se mesmo assim alguém vier me taxar de alguma coisa, tranquilo, eu não ligo. Agora vamos falar sobre Given!!!!!


  Na obra, somos apresentados a Uenoyama, um jovem que faz parte de uma banda mas, apesar de ser um bom guitarrista, não sente mais empolgação em tocar. Um dia ele encontra Mafuyu dormindo abraçado a uma guitarra em seu esconderijo na escola. A partir do momento que Uenoyama conserta a guitarra, Mafuyu fica completamente apegado ao músico. No entanto, ouvir Mafuyu cantando causa um grande impacto em Uenoyama, fazendo com que eles criem um vínculo através da música, enquanto buscam saber cada vez mais um sobre o outro.

  Essa obra acabou sendo uma surpresa pra mim, porque eu não esperava algo tão denso vindo de um anime Yaoi, que são obras que possuem o esteriótipo de serem animações com muito fanservice e algum pontos mínimos de história. Mas essa obra vai pelo caminho oposto, e que deveria ser o padrão do gênero, que é uma boa história trabalhada onde as características de Yaoi acabam sendo apenas um dos aspectos da trama, o que dá mais realismo a esse Slice of Life. Acho que esse é o principal fator positivo da obra: Realismo, algo mais humanizado, que facilita com que o espectador se sinta representado enquanto assiste. Sou suspeito para falar sobre isso, até porque não faz muito tempo que eu me sentia tal qual o protagonista, desmotivado com a vida, sem um rumo muito definido.


  Bom, a ideia do anime é até bem pensada, onde cada personagem vive um momento diferente na sua trajetória pessoal, mas mesmo assim cada um de seus caminhos consegue se conectar durante os onze episódios onde se desenrolam a trama. O interesse pela narrativa é sempre renovado pois a condição que faz com que a história progrida é a busca pelo passado do Mafuyu e a relação do Uenoyama com seus sentimentos novos e confusos, além de suas reflexões sobre o sentido de sua vida e relação com a música, e esse aspectos são trabalhados pela obra a todo momento, fazendo com que ela tenha um bom ritmo e que a nossa curiosidade como espectador cresça cada vez mais a cada nova revelação

  Como já falei anteriormente, o anime também acerta na humanização dos personagens centrais da trama, onde eles não são simplesmente jogados em uma história qualquer de alguns capítulos, mas nós vemos o suficiente para entender como cada membro da banda chegou ali e porque chegou como chegou, o que os levou a ser assim. Infelizmente, pelo fato de ser uma obra curta, alguns outros personagem acabam não tendo a mesma naturalidade ou recebendo uma chance de os entendermos melhor, o que acaba sendo compreensível pelo tempo que a direção tinha, a história precisa continuar.

  Justamente pela questão do tempo, o desenvolvimento acaba sendo focado apenas entre os quatro personagens principais, com os outros servindo apenas para construção de personalidade do quarteto principal. O diretor aproveita muito bem os onze episódios para desenvolver seus relacionamentos, mostrando grandes reviravoltas e motivações para tudo que ocorre, nada fica sem uma razão para acontecer. Entretanto, essa questão da falta de motivação para os personagens secundários acaba gerando situações estranhas, como a colega de classe do Uenoyama sendo babaca e falando sobre o Mafuyu, mas até então ela era só uma colega de classe genérica que talvez virasse um interesse amoroso, ela não teve motivações para agir assim, ou no caso da irmã do Uenoyama que aparentava gostar do baterista da banda, mas depois isso era esquecido e voltava vez ou outra como uma piada de transição de cena. Enfim, ações e diálogos sem sentido que acontecem apenas para fazer com que o roteiro siga seu rumo, não ficando muito críveis para a narrativa criada.

O humor desse anime também é algo sensacional
  Por serem pequenos detalhes, acabam não atrapalhando em fazer com que eu me importe com os personagens que fazem a trama rodar, pois o anime acerta tanto em mostrar a criação dos laços entre eles, quanto em mostrar como é a amizade dos membros da banda, e em como nem tudo é o que parece, onde cada membro demonstra ser feliz, porém guardam dentro de si segredos e angústias que os fazem sofrer constantemente, o que torna a obra ainda mais real.

  Até por ser um dos temas do anime, a trilha sonora não deixa nada a desejar. Vemos como elas combinam perfeitamente com os diferentes momentos da trama, transmitindo a emoção dos acontecimentos e passando a mensagem através de cada melodia. Cada letra possuí um significado único para seu determinado momento, e te passam a sensação de estar literalmente em um show daquela banda, onde cada música te faz refletir, como por exemplo na última música, onde podemos enxergar as emoções que o Mafuyu reprimiu por tanto tempo, e finalmente estão ali, em uma melodia tão pura que acaba sendo somente cantada, sem letras previamente escritas, sem ensaios, apenas a perfeita manifestação da alma através da arte. Ouviria tudo novamente, inclusive vou até fazer a playlist aqui.

  Sobre o visual, embora seja o genérico de anime da temporada, é algo agradável de se ver, e não apresenta falhas bizarras durante a obra, sendo bem consistente e limpo. Em alguns momentos em que se faz necessário por questões narrativas, vemos alguma diferença no visual, ficando um pouco mais leve e dinâmico, como nas apresentações musicais ou em alguns pontos chave da obra, mas nada que saia do padrão, e nenhum demérito nisso, mas não acaba impressionando. Seria esse um defeito nessa obra incrível, talvez?


No fim das contas, foi uma ótima experiência. os capítulos passaram voando, e eu acabava sempre ansioso pelo próximo episódio. A obra acaba prendendo nossa atenção, e não dá preguiça nenhuma de assistir, principalmente nas cenas onde víamos pequenos detalhes sobre instrumentos, da interação da banda ou de como um novato lida com a música. Eu como aspirante a baixista adorava essas cenas e elas me divertiram um bocado, então com certeza recomendo esse anime, que terá sua conclusão em um filme lançado entre abril e junho desse ano, e pela divulgação ele parece ser mais focado no Haruki e  no Akihiko, o baixista e o baterista da banda respectivamente, então até por isso eu falei pouco sobre eles aqui, porque quando o filme sair vou soltar um novo artigo, então acho que dá pra dizer que esse é um texto em duas partes. Enquanto isso, assistam o anime, vale a pena.
Até a próxima!

Postar um comentário

0 Comentários