AnimeTopic 005 - Boku no Hero Academia 1° Temporada


  Olá, geeks!
  Hoje trarei uma crítica sobre a primeira temporada de Boku no Hero Academia. Afinal, esse anime tá dando o que falar, hein?! O anime foi escrito por Kohei Horikoshi e dirigido por Kenji Nagasaki no estúdio Bones.

  A história retrata um mundo onde a maior parte da população nasce com uma individualidade (um super-poder), e o nosso jovem protagonista Izuku Midoriya nasce fazendo parte da minoria da população. Porém, mesmo sem possuir individualidade, Midoriya sonha em se tornar um super-herói, assim como o atual símbolo da paz, All Might, que além de ser o herói número um, é muito admirado pelo nosso protagonista. Depois de conhecer All Might por acidente, Midoriya acaba mostrando seu valor ao herói, que o reconhece e partilha seu poder, o One for All, com o garoto e ele acaba conseguindo entrar na U.A, a grande escola para heróis.


  Quando a história de Midoriya se iniciou, eu já sabia que se tratava de um clichê, um menino que ganha poderes e se torna o herói que tanto quis ser. Porém, o que mais me interessou não foi a história do nosso protagonista em si, mas as histórias secundárias que existiam no anime. Queria entender mais sobre alguns personagens afinal, temos o All Might por exemplo, como um grande símbolo dentro da história, mas nada sabemos sobre a origem do herói até que é mostrado um pouco no decorrer do anime. Também me interessei logo de cara pela história de Todoroki, já que o menino, filho do herói número dois, odiava tanto o pai que não queria utilizar a parte de sua individualidade que remetia seu pai. Além de outros personagens que se destacaram nessa primeira temporada.

  Outra coisa que me atraiu logo de cara foi a relação entre Midoriya e Bakugou, garoto que ele conhece desde a infância e compartilha a mesma admiração pelo All Might. Eles são totalmente opostos, temos Midoriya como um garoto calmo e gentil, já Bakugou como um garoto temperamental e orgulhoso. Mesmo assim, Midoriya expressa uma grande admiração pelo personagem, o considerando um rival e querendo ficar mais forte para superá-lo. Durante a infância desses garotos, Bakugou sempre foi privilegiado por ter uma boa individualidade, enquanto menosprezava Midoriya por não ter uma. Muita gente odeia o personagem por ele ter essa personalidade, porém, para mim, o garoto apesar de tudo, tem muito potencial e merece ser reconhecido por sua força, porque mesmo com tudo isso é esforçado e mesmo não demonstrando muito, confia em seus companheiros.


  Boku no Hero é como um tsunami. Quando está no começo, em alto mar e bem longe da costa, não são ondas grandes, o anime nos mostra um lado mais sentimental, querendo nos apegar a história do personagem e desejar que ele consiga superar a falta de individualidade. Depois, atingem uma certa velocidade e aumentam seu comprimento, assim nós temos a segunda parte do anime, que desenvolve logo a história para Midoriya e All Might ao se encontrarem e logo o jovem ganha a individualidade do herói, aumentando seu potencial e fazendo o personagem crescer dentro da história. 

  Por fim, temos o término da primeira temporada de uma forma inusitada. Temos a invasão de muitos vilões na U.A, onde os alunos correm perigo de vida, descobrimos uma associação entre os vilões e que, assim como o All Might é um símbolo para os heróis, os vilões também possuem um símbolo. Podemos ver também vilões criados por mutações genéticas, denominado “Noumus”, que apesar de não terem inteligência, eles possuem uma força elevada, dando trabalho até mesmo ao próprio All Might.


  Outra coisa que me surpreendeu na temporada foi o fato de Midoriya contar sobre parte de seu segredo a Bakugou, mesmo quando o próprio All Might pediu para ele manter segredo de todos. Isso prova o quanto Midoriya confia em Bakugou e não perdeu a fé em seu amigo, mesmo tendo sido jogado de lado por tanto tempo. 

  Nessa via, a primeira temporada de Boku no Hero não nos mostra tanto sobre alguns personagens e realmente foca mais no protagonista, porém, é um anime que começa tímido e que vai ganhando potencial ao longo dos episódios. É uma boa sugestão para assistir, já que é uma história bastante comovente e que faz você querer ver mais. Recomendo bastante!!!

Postar um comentário

9 Comentários