Reload! #05 - DC Fandome

  E a ComicCon da DC finalmente aconteceu!
  No último sábado, dia 22,  foi ao ar o DC FanDome, evendo de 24 horas de duração focado exclusivamente no universo DC, e podemos dizer que... até foi empolgante, de certa forma. Tivemos bastante coisa até, como o trailer do Snyder Cut de Liga da Justiça, primeiras informações concretas e as primeiras artes conceituais de Adão Negro e a grande estrela da noite, o primeiro teaser de The Batman. Vamos conferir um pouco mais sobre o evento, e o que achei disso tudo. Esperava mais hein!

  Enfim, o evento começou com um painel de Mulher-Maravilha 1984, trazendo a diretora Patty Jenkins juntamente com o elenco, composto por Gal Gadot, Chris Pine, Kristen Wiig e Pedro Pascal, que debateram sobre o filme e vieram apresentar o novo trailer do longa, que mostra Steve Trevor de volta a vida (?) sendo apresentado às novas tecnologias dos anos 80, e revelando o visual da Mulher-Leopardo.

  Eu confesso que não assisti o primeiro filme, nunca fui muito fã de Mulher-Maravilha mas também não odeio a personagem, era só falta de interesse mesmo. Sei que ele fez um relativo sucesso no primeiro filme, e esse trailer do segundo, pra mim, foi uma loucura total. Steve Trevor voltando a vida, Diana atravessando os céus laçando raios e um visual no mínimo diferente em sua luta contra a mulher leopardo. Enfim, é um filme que vou continuar acompanhando de longe, mas o clima me lembrou bastante a sensação que fiquei vendo o trailer de Thor: Ragnarok. Talvez saia algo bom, o inesperado sempre surpreende, pra bem ou pra mal.

  Na sequência, finalmente trazendo as primeiras novidades do filme solo do Flash, o painel dedicado ao herói no evento foi enigmático, de certa forma, com algumas referências sobre o multiverso DC. No painel também foram exibidas as primeiras imagens do novo uniforme do velocista e uma arte conceitual de seu encontro com o Batman de Michael Keaton. Bom, com este aqui eu estou realmente preocupado. Flash é meu personagem preferido da DC e cada notícia sobre esse filme só me deixa mais triste, isso sem contar o fato de que ele já deveria ter saído há mais de dois anos e que o Ezra Miller me passa zero de confiança nesse papel. Isso posto, é difícil tentar prever algo sobre o filme quando até mesmo o diretor não sabe ao certo que rumo tomar com a obra. Parece que a história estabelecida da vez é tentar adaptar o Ponto de Ignição, e além de apresentar o personagem, fazer do filme um caminho para conectar os vários filmes da DC num mesmo universo, inclusive o painel do longa exibiu algumas cenas de Watchmen e Constantine, dando a entender que vão tentar trazer absolutamente tudo para o centro das histórias. E isso é muito arriscado, podemos estar vendo os roteiristas caindo no mesmo erro de querer focar demais em crossovers, forçando interações demais apenas para concorrer com a Marvel e acabar produzindo péssimos filmes como foram Batman vs Superman e Liga da Justiça. A DC não precisa disso, eles sabem contar histórias isoladas, vide Aquaman e Shazam! que tiveram ótimos resultados, isso sem falar dos maiores filmes de herói da história, a trilogia Cavaleiro das Trevas, então não tem porque forçar, não precisa ser igual a Marvel. A DC tem condições de fazer sucesso do seu próprio jeito, e precisa abrir os olhos pra isso.

  Voltando a falar sobre o filme do Flash, eu estou baixíssimas expectativas para isso. Grant Gustin já faz um bom trabalho na série, e penso que ficaria muito melhor se focassem em manter os personagens em apenas uma mídia, que já esteja dando certo. Inclusive, aproximar os filmes e as séries da DC seria uma ótima forma dela se firmar de vez no gosto dos fãs, tal qual fez a Marvel com esse arco do Thanos que começou lá no primeiro filme do homem de ferro, mas como falei acima, fazendo isso do seu jeito. Posso falar sobre como eu organizaria esse DCEU em um próximo texto, deixem nos comentários se querem um texto sobre isso!

  Continuando, o painel de O Esquadrão Suicida reuniu o grande elenco do filme juntamente com o diretor James Gunn, revelando as identidades de cada integrante da equipe no longa, incluindo os vilões Tubarão Rei, Caça-Ratos e Bolinha, e também podemos ver algumas prévias do visual de cada um deles, através de um teaser, além de apenas cenas de bastidores por enquanto, com uma explosão aqui e outra ali. Isso foi bizarro, a única coisa que esse painel me passou foi a sensação de que, assim como o primeiro filme, este vai do nada a lugar nenhum. Na hora da revelação dos personagens do longa eu me senti numa convenção de cosplay, mas tipo, dos cosplays mais esquisitos que você pode imaginar. Acabou sendo mais uma novidade esquecível do evento, e tudo que foi liberado sobre esse filme só te passa a sensação de que se ele for pelo menos ruim igual o primeiro, já sai no lucro.

  Mas o evento não foi de todo ruim, finalmente. No painel surpresa do evento, os criadores de Super Choque confirmaram que a DC está em negociações para produzir um filme live-action sobre o personagem, embora ainda não tenhamos maiores informações sobre o projeto. No mesmo painel, a Milestone, selo da DC Comics dedicado a representatividade negra, anunciou que retornará a publicar HQs inéditas a partir de fevereiro de 2021.

  Enfim uma notícia boa!
  Embora esteja apenas na fase de negociação, já é alguma coisa ver a DC falando abertamente sobre um futuro filme do herói mais amado pelos espectadores do SBT, então já dá pra começar a especular e, porque não, sonhar com os rumos que o filme pode tomar no futuro. Este é um pedido antigo dos fãs da editora, e é ótimo ver coisas assim se concretizando, e na minha opinião é melhor ainda ver um personagem originalmente negro fazendo sucesso e trazendo representatividade nas telonas, tal qual foi com Pantera Negra em 2018. Sinceramente acho um desrespeito com a comunidade negra quando mudam a origem de um personagem e o fazem ser negro apenas por já ter uma origem famosa, como colocar um Batman negro por exemplo. É muito melhor quando um personagem originalmente afrodescendente tem essa relevância pela editora, é muito mais bacana e acima de tudo respeitoso quando isso acontece. Pra esse filme eu já comprei meu ingresso!

  No painel mais esperado do DC FanDome, Zack Snyder revelou o primeiro trailer da sua versão de Liga da Justiça, conhecida como o Snyder Cut. Com abertura do Darkseid, cenas do Ciborgue e do Superman em seu tão aguardado traje preto, o trailer do Snyder Cut foi uma das atrações mais comentadas do evento. No mesmo painel o diretor também comentou que o filme terá quatro horas de duração, será dividido em quatro partes e terá outros meios de distribuição para quem não possui HBO Max. 

  Eu até consigo entender porque o fã da DC espera tanto por isso. Ver seus heróis reunidos em tela, lutando, interagindo e tudo mais. O meu problema com todo esse barulho em volta desse "filme" é que não vejo outro caminho que não seja igual a primeira versão, não em questão de história mas no que o filme vai causar nos fãs. Por mais que sejam quatro horas de filme, um único filme é pouco para apresentar a origem de toda uma gama de personagens com grandes histórias próprias e faze-los interagir de uma maneira que não pareça forçada. Estou levando em conta as declarações do Zack Snyder porque o trailer em si não nos diz nada, foi simplesmente uma grande colagem de cenas deletadas, de uma forma totalmente amadora, incluindo um CGI triste de um projeto de Darkseid saído direto de um jogo de PlayStation 2. Tá certo que o filme mudou de direção no meio da produção, que o resultado final foi algo totalmente diferente do que estava planejado e que por isso foi ruim, mas isso não significa que o projeto original também não fosse ser tão ruim quanto, e as pessoas parecem estar esquecendo disso. 

  Ainda tivemos novidades sobre Adão Negro, o filme do antagonista protagonizado por The Rock. Num primeiro teaser muito semelhante a um jogo mobile, com imagens conceituais do personagem, mostrando um pouco da história por trás do Adão Negro. Além disso, tivemos uma sequência de imagens que confirmaram a formação da Sociedade da Justiça, trazendo o Gavião Negro, Senhor Destino, Ciclone e Esmaga-Átomo.

  Vem aí o Venom da DC!
  Agora falando sério, as comparações com o filme da Sony são inevitáveis, e isso é um bom sinal. Antes de Venom, eu achava a ideia de fazer um filme solo de um vilão excluindo qualquer ligação com o herói um péssima ideia, mas a bilheteria do longa está aí para provar o contrário, e além do mais foi um bom filme, cumpriu bem o seu papel e abriu caminho para mais obras nesse estilo. Mas não espere ver um Adão Negro agindo como vilão durante o filme, embora tenhamos a Sociedade da Justiça para confronta-lo durante o longa, The Rock não é conhecido por fazer vilões nos cinemas, o ator não gosta de fazer esse tipo de personagem, então as chances de vermos um anti herói caindo mais para o lado heroico da parada é alta. Vai ser um pouco complicado, mas se Venom, que tinha tudo pra dar errado, deu certo, porque Adão Negro não pode funcionar? Só nos resta esperar pra ver!

  Para fechar (e salvar) o evento, The Batman ganhou seu primeiro trailer no DC FanDome. O diretor do filme também respondeu algumas perguntas, deixando mistérios sobre a história. O longa trará um versão do Batman no início da carreira, onde ele ainda não será um símbolo de esperança para Gotham, assim como os vilões Mulher-Gato, Pinguim e Charada também estão em ascensão, dando seus primeiros passos rumo ao destino de mergulhar Gotham na escuridão profunda.

  É aqui que o evento inteiro valeu a pena. Eu poderia dizer que esse trailer foi um chute no saco de todos os críticos a escolha do Robert Pattinson como Batman, inclusive este que vos escreve. Por focar no início de sua carreira como vigilante, podemos ver todo um novo universo do homem morcego se formando a partir desse filme, as informações que temos abrem espaço pra muitas sagas serem trabalhadas, tudo vai depender de como esse filme vai se sair. Meu único receio é essa mania de querer tudo junto o tempo todo, então já estão especulando como o filme do Flash poderia conectar esse filme ao resto do DCEU, e sinceramente, isso seria estragar a obra, acho que o tom do longa não combina com o que está sendo planejado pro resto dos filmes da DC, então deixa esse filme no lugar dele, onde aparentemente funcionará muito bem, com um Batman que não deve em nada a trilogia clássica, mostrando finalmente o lado mais investigativo e humano do personagem, sem abrir mão de toda a violência inerente a vida do herói, e haja violência mesmo, porrada bonita no trailer. Foi o trailer que fez valer o evento, agora é só ansiedade até o longa sair, sabe se lá quando.

  E é isso, tivemos outras atrações, como o trailer da sétima temporada de The Flash, Título da sequência de Shazam, novos heróis e vilões na terceira temporada de Titãs e a nova versão do Batman nas HQs, mas resolvi focar apenas nas atrações mais relevantes para não acabar deixando o texto enorme. No fim das contas, para um evento que se propunha como "a ComicCon da DC", o evento foi bem fraco, boa parte de suas atrações foram esquecíveis e as novidades sobre o filme do Batman acabaram salvando um evento que quase acabou por ser "muita fumaça pra pouco fogo".

Postar um comentário

0 Comentários