The Last of Us: Parte 2 - Você não pode parar isso


Je tu další nadupaný trailer očekávané hry, jejíž příběh před ...

AVISO: Esse texto terá spoilers massivos sobre a história dos dois The Last of Us, caso não tenha jogado ainda, não leia.

  Quatro anos após seu anúncio, The Last of Us: Parte 2 finalmente está entre nós, trazendo uma grande divisão em relação à história, onde muitos fãs estão extremamente decepcionados, e outros amaram e o consideram um dos melhores jogos já feitos. Essa decepção começou a surgir quando a história do jogo foi vazada online, muitas pessoas tentaram organizar boicotes ou petições para mudá-la, e fizeram ataques de ódio aos desenvolvedores da Naughty Dog em redes sociais. Assim, nesse texto irei resumir o que acontece em certo ponto da história, e comentar o que acho deles.

 A vida em Jackson

The Last of Us 2 Collectibles Guide Chapter 1: Jackson - Patrol ...

  The Last of Us: Parte 2 começa com Joel confessando o que fez com os vagalumes para o Tommy, e depois voltando pra Jackson, onde passará a morar tranquilamente com a Ellie. Temos algumas cenas com a relação de pai e filha entre Ellie e Joel bem estável, e com o Joel cumprindo algumas promessas. Porém, temos um time-skip de 4 anos, em que a relação dos dois está meio abalada, e mostrando que Ellie fez algumas amizades em Jackson, e mostrando Ellie e Dina saindo em uma patrulha para cuidar de infectados.

  Assim, o jogo alterna a visão para a outra protagonista do jogo, Abby, mostrando ela e seu companheiro, Owen, querendo achar alguém em Jackson, Owen revela que sua namorada, Mel, está grávida e que não vale a pena arriscar, porém, Abby continua o caminho sem ele. Após isso temos mais algumas mudanças de visão, em que entendemos melhor a relação da Dina com a Ellie, e vemos Abby percorrendo seu caminho e sendo perseguida por infectados. Em uma dessas partes, Joel e Tommy aparecem para ajudar a Abby, quando ela os chama para a casa onde ela está com a sua equipe. Porém, ao chegar no local, temos uma surpresa e descobrimos que eles já conhecem Joel, dão um tiro na perna dele e o deixam na parede, Abby pega um taco de golfe e ataca Joel.

  Dessa vez vemos Ellie se aproximando da casa onde Tommy, Joel e Abby estão, enquanto explora a casa podemos ouvir gritos de dor vindo do porão. Ao abrir a porta, presenciamos um dos momentos mais violentos do jogo, Ellie é segurada contra o chão, enquanto vê a cara de Joel ensanguentada, ela demonstra todo seu ódio e desespero, mas não tem nada que possa fazer, Abby o finaliza com uma última tacada e logo depois a tela fica preta. Após esse incidente, vemos uma Ellie emocionalmente destruída e com sede de vingança, se preparando para ir até Seattle procurar os WLF(facção da Abby) e o Tommy(que também foi para Seattle em busca de vingança).

  Na minha opinião, esse é um dos melhores começos dos jogos, é corajoso, bem escrito, entendemos e nos apegamos aos personagens novos e introduz muito bem o rumo que o jogo vai tomar com a violência, tendo seus momentos de descanso e momentos brutais. Uma das coisas que muitos fãs falam mal é sobre a morte do Joel, mas eu discordo completamente, ele não foi descaracterizado, estava em uma situação de desespero fugindo de uma horda de infectados, além de que depois de passar cinco anos vivendo em uma sociedade "pacífica" com outros humanos, vai fazer ele confiar mais nas pessoas. Além disso, a morte em si dele foi bem corajosa e bem feita, com exceção da conveniência do Joel estar naquele lugar pra salvar a Abby, muitos queriam uma morte mais heroica pra ele, mas o Joel nunca foi uma pessoa certa, e ele sabe disso. Esse é o ponto que o jogo traz desde o início, são humanos sobrevivendo em um mundo apocalíptico, e é por isso que o Joel tem uma morte cruel, ele sofreu as consequências das ações dele, e teve uma morte como qualquer pessoa teria.

A busca por vingança - Seattle dia 1

The Last of Us 2 - Ellie sings "Take On Me" with guitar - YouTube

  Após todos esses acontecimentos, temos um time-skip, com ele vemos a relação de romance da Dina e da Ellie mais aprofundada, e juntas chegam à entrada de Seattle. Ao explorar a entrada de Seattle, se deparam com um portão sem energia, e vão atrás de gasolina em Downtown Seattle, onde está a parte mais aberta do jogo, e que apresenta uma das cenas mais lindas, com Ellie cantando a música "Take on Me" para a Dina. Assim, após conseguir a gasolina, elas chegam ao hotel Serevena, ao explorarem, encontram dois WLFs que foram torturados e mortos pelo Tommy, pegam um código de outro portão e seguem o caminho.

  No percurso elas são capturadas pelos WLF e levadas para uma escola, conseguem escapar, matando um dos envolvidos na morte do Joel, e achando carta e uma foto da Leah(também envolvida na morte), apontando estar em uma estação de TV. Elas seguem para a estação, passando por um caminho cheio de armadilhas, ao chegar, encontram a Leah morta por uma flecha e acham fotos dos outros envolvidos, mas os WLF e uma nova facção chega no local, conhecida pelos WLF como "cicatrizes", fazendo elas escaparem pelo subterrâneo. Enquanto escapam, Ellie revela sua imunidade para a Dina, e juntas vão para um teatro, lá a Dina revela estar grávida do Jesse, sendo obrigada a ficar pra trás no resto da jornada. Ellie liga a energia do teatro e toca a música que Joel canta pra ela no prólogo, temos então o primeiro flashback do jogo, nele vemos uma Ellie adolescente saindo com o Joel, entendemos melhor a relação deles nesse tempo passado, e no final do flashback, um símbolo dos vagalumes aparece e percebemos que Ellie ainda não esqueceu aquele evento completamente.

  Acho esse um bom desenvolvimento, entendemos melhor o ódio de Ellie e o quão longe ela pretende ir com sua vingança, e entendemos melhor a personagem da Dina, de como ela mostra remorso pela brutalidade disso tudo, mas ainda vai em frente apoiando a Ellie. Também acho a narrativa nessa parte muito boa, tudo flui naturalmente e não tem nada forçado, com uma ótima introdução para os cicatrizes, e tendo seus momentos de descanso de toda a violência. O flashback também foi bem inserido, ele mostra uma parte da Ellie e do Joel que é necessária para o entendimento de toda a sequência de acontecimentos, e também serve como descanso, e esse é um dos únicos que não prejudicam muito o ritmo do jogo.

O ódio de Ellie - Seattle dia 2

The Last of Us Part II tem trailer de lançamento divulgado - Outer ...

  O dia começa com Ellie indo para Hillcrest em busca do Tommy, porém, ao chegar lá, descobre que na verdade é o Jesse que está no local, sendo perseguido pelos WLF. Assim, ambos roubam um carro da WLF e tentam escapar, enquanto também acabam sendo atacados por infectados, então conseguem escapar e voltar para o teatro. Temos então mais um flashback, mostrando Ellie mais desanimada e distante do Joel, em patrulha com o Tommy, e depois passando por um hotel com o Joel, no local, são atacados por infectados e encontram algumas pessoas que tentaram sair de Jackson, mas foram mordidos e decidiram se matar para evitar virar um infectado também. Assim, Ellie demonstra mais curiosidade sobre o que realmente aconteceu com os vagalumes, e Joel mente para ela mais uma vez.

  Após esse flashback, Dina diz para Ellie que achou a localização da Nora, que está envolvida na morte de Joel, então segue para o hospital dos WLF em busca de vingança. No caminho ela encontra os Serafitas(cicatrizes, como são chamados pelos WLFs), uma outra facção de Seattle, formada por extremistas religiosos. Chegando no local, ela escuta conversas sobre Abby ter fugido, e prossegue para investigar a Nora. Ao encontrá-la, ela tenta fugir, mas a Ellie a joga em uma área com esporos e consegue a alcançar, a Nora tenta resistir para não dar a localização de sua amiga, e começa a tentar convencer a Ellie sobre o Joel estar errado, mas ela a ignora e a tortura. Temos um corte e vemos que a Ellie conseguiu a localização da Abby, mas está destruída psicologicamente após o que fez.

  O dia finaliza com mais um flashback, dessa vez com a Ellie explorando o hospital dos vagalumes. No local, ela encontra diversos documentos sobre sua humanidade e os estudos sobre ela, e uma  gravação feita após o Joel matar os vagalumes. Assim, Ellie finalmente escuta o que ela queria, a verdade sobre o incidente e a mentira do Joel, logo depois com ele aparecendo para levá-la de volta para Jackson. Temos então um conflito, onde Joel admite sua mentira, e Ellie diz que não pode perdoá-lo por isso, que ele tirou o significado da vida dela, e isso resulta na quebra de relação de pai e filho entre eles, uma quebra que perdura pelos próximos 2 anos

  Acredito que essa é parte do jogo em que a humanidade em contraste com o ódio da Ellie fica mais evidente, por exemplo, percebemos que ela está sempre tentando usar a desculpa de que está procurando o Tommy, quando na verdade ela procura continuar sua vingança. No primeiro flashback, apesar de que seja importante ver como Ellie não deixou o incidente dos vagalumes passar, ele não é tão necessário assim e possui problemas de ritmo. Assim, começa a melhor parte do dia, onde temos uma ótima introdução aos Serafitas, e vemos o remorso e humanidade da Ellie, mostrar isso é muito importante para a personagem e mostra que mesmo com todo esse ódio, ela ainda possui uma certa empatia. Além disso, o flashback que vem em seguida também traz mais profundidade para a Ellie, onde vemos como ela se agarrava tanto à sua imunidade como o significado de sua vida ao ponto de romper uma relação com a última pessoa em que ela realmente confiava por causa disso. Logo, esse flashback muda todo o significado da jornada até agora, Ellie não busca vingança apenas pelo fato do Joel morrer, mas porque ela não teve a chance de se reconciliar com ele, ela quer poder perdoar a si mesma após tratar mal alguém que amava e não ter tido tempo de consertar isso.

O contraste da humanidade e do ódio - Seattle dia 3

The Last of Us Part II' vai te deixar boquiaberto e em crise moral ...

  O dia começa com Ellie e Jesse procurando o Tommy, indo para o aquário(local onde a Abby está), apesar de que a Ellie na verdade esteja atrás da Abby. No caminho eles podem escutar WLFs falando sobre um sniper em outro local, supondo que é o Tommy, Jesse tenta convencer Ellie a ir atrás dele, porém, ela está convencida a ir ao aquário e ele decide ir atrás do Tommy sozinho. Assim, Ellie consegue um barco e passando por infectados, WLFs e Serafitas, ela chega ao aquário. No local, a Ellie mata um cachorro, a  Mel e o Owen, faltando apenas a Abby para finalizar a vingança. Porém, ao matar o casal, mais uma vez a Ellie mostra um grande remorso, ela descobre que a Mel estava grávida e começa a passar mal, até que o Tommy e o Jesse aparecem para acalmar ela. Ao voltar para o teatro, Ellie e Tommy foram convencidos a deixar essa vingança de lado e voltar para Jackson. Porém, enquanto estavam planejando, eles são atacados, Abby aparece, mata o Jesse, segura o Tommy no chão e rende a Ellie, temos um corte.

  Logo depois, o jogo mostra mais um flashback, dessa vez controlando a Abby, sendo esse o plot twist do jogo. Nesse momento, descobrimos a motivação da Abby, o pai dela era um dos médicos dos vagalumes que o Joel matou, e que ela fez tudo aquilo por vingança. Além disso, também vemos o lado da Marlene, de como ela demonstra remorso e dúvida até decidir finalmente sacrificar a Ellie pela humanidade, depois disso acordamos como a Abby no dia um.

  Me agrada bastante quando o jogo deixa claro todo esse remorso da Ellie, ainda mais em uma obra sobre empatia, além de vermos uma evolução na personagem, a cena da morte da Mel e do Owen faz referência à morte do David, dos caçadores, mas dessa vez, mesmo com a Ellie sendo tomada pelo ódio, ela se sente mal pelo que fez. A morte do Jesse é outra coisa bem criticada, já que ele morreu de forma muito rápida e inesperada, e eu discordo completamente. The Last of Us é um jogo que tenta ser bastante realista, a morte do Jesse é simplesmente como qualquer humano morreria, assim como qualquer NPC inimigo que você mata, já disse e repito, não existe nenhum herói ou vilão, o Jesse não precisava ser honrado.

  Quanto ao plot twist, acredito que foi uma má escolha a hora em que decidiram botar ele, deu um freio grande no meio do clímax do jogo. Porém, ainda acho o twist em si muito bom, isso te faz questionar todas suas ações até o momento. Além disso, como as motivações da Abby são bem parecidas com a da Ellie, percebemos que não existe nenhum héroi, Ellie é um ser humano imperfeito, assim como a Abby, ambas cometeram erros e iniciaram um ciclo de vingança sem fim. Assim, ao jogo te deixar no comando da Abby, reafirma sua mensagem de empatia, e te faz entender melhor o lado dela.

A visão de Abby - Seattle dia 1 (Abby)

The Last Of Us Part 2: In Defense Of Abby

  O jogo nos coloca para jogar e entender a visão de Abby, começando com ela acordando na sede da WLF, conversando com algumas pessoas que Ellie matou e indo em patrulha com a Mel e o Manny para a base militar, sendo atacados por serafitas e infectados no caminho. Chegando ao local, Abby conversa com o Isaac(líder da WLF), ele está planejando atacar a ilha dos serafitas, mas quer deixar o Danny e o Owen, que estão sumidos, para trás, Abby discorda com isso e com a ajuda do Manny, ela foge para procurar o Owen. Logo depois temos um flashback do romance de Abby e Owen enquanto exploram um aquário, onde vemos a sua sede de vingança e que está treinando para matar Joel. Assim, após o flashback ela continua seu caminho e passa por vários serafitas, acabando capturada, e tendo mais um flashback, onde Abby está com Owen no aquário novamente, revelando qua achou Joel e seus planos de ir atrás dele.

  Voltamos para o momento que Abby foi capturada, ela é salva por duas crianças serafitas que estavam contra os próprios, Lev e Yara. Abby escapa com as crianças e as deixa em um bunker, botando um pedaço de madeira para tentar reduzir a dor do braço de Yara, que foi martelado pelos serafitas. Então, Abby continua para o aquário, passando por infectados e chegando ao local, tendo uma conversa com Owen, onde ele explica que teve empatia e salvou uma criança serafita, matando o Danny, e revela que quer ir para Santa Barbara, já que ouviu rumores sobre vagalumes no local, Abby discorda dele e eles acabam brigando, porém, no meio da briga eles param e tem uma cena de romance. Finalizando o dia, temos um sonho de Abby no hospital dos vagalumes, porém, quando ela abre a porta ela vê Yara e Lev enforcados.

  Na minha visão esse dia é o mais fraco, tem um ritmo péssimo, muito combate desnecessário, e cria uma certa exposição com os flashback da Abby. Porém, mesmo com defeitos, ainda é bom, introduz bem a Yara, o Lev, e as motivações da Abby, ela é uma personagem bem interessante, os serafitas são mais bem aproveitados, e a sequência de acontecimentos é boa. Além disso, o sonho de Abby no final também é bem importante, entendemos que ela está preocupada com a Yara e o Lev e ela é mais aprofundada como personagem. 

Redenção - Seattle dia 2 (Abby)

The Last Of Us Part II - Across Scar's Bridge With Lev (Abby's ...

  Após o sonho, Abby volta para o bunker para salvar a Yara e o Lev, lutando com os serafitas que estão no local, e os levando para o aquário, para que Mel possa tratar o braço de Yara. De início, por serem serafitas, Mel e Owen não aceita, mas Abby as convence, e Mel a examina, descobrindo que ela está com sindrome compartimental. Assim, Mel diz que o braço dela tem que ser cortado, mas não tem os recursos necessários no aquário, por isso, Abby e Lev vão para o hospital da WLF, para que possam pegá-los com a Nora. Porém, como o caminho é longo e não chegariam em apenas um dia, eles seguem para as pontes aéreas dos serafitas.  Entretanto, enquanto estavam na última ponte aérea, Abby e Lev acabam caindo no edifício ao lado, e precisam descê-lo. Em todo esse percurso até o hospital, Abby e Lev se entendem melhor, vemos que Abby tem medo de altura, Lev é chamado de Lily, e Abby revela sentir culpa pelos seus atos violentos, como tortura. 

  Ao chegar no hospital, os WLF contatam o Isaac e descobrem que Abby fugiu da base militar, assim a prendendo e planejando a mandar de volta. Porém, Nora a resgata, e a leva para a parte do hospital onde estão os recursos necessários, mas a diz para tomar cuidado, já que o local foi o início da infecção, e é pouco acessado. Enquanto procura os recursos, Abby é perseguida por um infectado bem diferenciado, o Rat King, e temos uma cena de perseguição e bossfight com ele, no estilo Resident Evil. Após sair do hospital, Abby se encontra com Lev e voltam para o aquário com um barco, assim, a cirurgia de Yara é realizada, e o dia é finalizado com Abby sonhando no hospital dos vagalumes mais uma vez, e ao abrir a porta, dessa vez está seu pai, olhando para ela e sorrindo. 

  Após o dia mais fraco, esse conseguiu compensar bastante, o ritmo, apesar de ter seus problemas, flui bem melhor, Abby e Lev são muito mais aprofundados, e o arco de redenção da Abby é ótimo, mostra que ela sente remorso pelo que fez com o Joel, e que essa é a motivação por trás de salvar o Lev e a Yara, faz toda a diferença na personagem. Além disso, a sequência de acontecimentos é ótima, o caminho até o hospital, a luta contra o Rat King, tudo isso é ótimo de se jogar. O sonho no final, assim como o do dia um, é bem importante, mostra que mesmo depois de ter sua vingança, Abby não consegue esquecer seu pai, mas também mostra que com seu arco de redenção, ela sente que seu pai a perdoou, a forma que usaram esse acontecimento para mostrar o sentimento de culpa da Abby ao longo dos acontecimentos é genial. 
 

Duas histórias de ódio se convergem - Seattle dia 3 (Abby)

The Last Of Us 2: 10 Ways Abby Got Worse & Worse | TheGamer

  Começamos o dia três com uma discussão entre Yara e Lev sobre ir para Santa Barbara com o Owen, e nesse momento, Mel aparece e diz para a Abby que não vai para Santa Barbara se ela for, fala que a odeia e que ela é uma pessoa ruim, que deve se afastar da Yara e do Lev. Assim, Yara vai falar com a Abby, e fala mais sobre Lev, o motivo de ser chamado de Lily, que é por ser trans, e fala que de início ela não o aceitou muito bem e o disse para esconder isso dos outros, por fugir da tradição dos serafitas, mas ele raspou a cabeça, assim como os homens. Entretanto, enquanto conversavam, Owen os alerta que Lev usou um barco para voltar para a ilha dos serafitas, para falar com a mãe dele. Assim, Abby e Yara vão atrás de um barco na marina, ao ouvir tiros de sniper, Abby pede para a Yara esperar por ela, e vai em direção ao tiroteio, encontrando o Manny. Assim, ao chegar mais perto do sniper, Manny acaba sendo morto por um tiro na cabeça, sem tempo para pensar, Abby continua e confronta o sniper, quando descobrimos que ele é o Tommy, assim, Yara ajuda a Abby, e jogam o Tommy na água. Então, elas pegam o barco e vão para a ilha.

  Ao chegar na ilha, veêm barcos da WLF invadindo, e enfrentam vários serafitas em seu caminho até o Lev. Assim, conseguem chegar no local, e encontram a mãe do Lev morta, e ele chorando no canto da casa, explicando que ela não aceitou sua condição, e ele acabou matando ela enquanto se defendia, Yara conforta ele, e juntos eles avançam para fugir da ilha. Porém, no caminho, são atacados pelo Isaac e os WLFs, Yara toma um tiro e fica no chão, e Isaac quer matar os irmãos, porém, Abby protege o Lev, então, a Yara, no chão, atira e mata o Isaac, sendo a deixa para Abby e Lev fugirem, mas os WLF dão vários tiros na Yara e a finalizam, deixando Lev traumatizado. Depois disso, Abby acalma o Lev, se põe contra os WLFs, e conseguem fugir da ilha, passando no meio da guerra entre a WLF e os serafitas.

  Então, após essa sequência brutal de acontecimentos, Abby e Lev voltam para o aquário, encontrando Alice, Mel e Owen mortos, por isso, Abby passa mal e vomita, então o Lev encontra o mapa usado por Ellie no chão, Abby decide se vingar por seus amigos e vai para o teatro encontrar Ellie. Ao chegar no local, temos a cena do dia 3 da Ellie repetida, mas na visão da Abby, continuando com Tommy tentando resistir, tomando uma flecha e um tiro de raspão. Assim, Ellie usa a oportunidade para fugir, mas Abby corre atrás dela. Temos então uma bossfight em stealth de Abby contra Ellie, acabando com Dina tentando salvar a Ellie, mas sendo ameaçada pela Abby, Ellie tenta convencer a não atacar a Dina, usando a gravidez dela, Abby a ignora, mas o Lev para ela, assim, ela consegue deixar passar e faz sua parte para que esse ciclo tenha um fim.

  Esse dia é com certeza o melhor, o pacing ficou realmente bom, as setpieces são incríveis, todos os acontecimentos são ótimos, e é impactante de uma forma que apenas os jogos podem proporcionar. A forma que tudo é contado é muito boa também, Manny e Yara, assim como o Jesse, tem uma morte rápida, de forma que os protagonistas não tem tempo nem para pensar sobre isso, Abby acaba tendo que matar seus próprios parceiros, e por mais que mostre remorso, entendemos como ela está disposta a fazer tudo pra salvar o Lev. Além disso, a luta do teatro é simplesmente incrível, o jogo foi corajoso e nos põe para lutar contra Ellie, sendo uma luta impactante a ponto de me deixar sem ar e sem vontade de continuar, e vemos que Abby se perdeu no ódio e vai fazer de tudo pra se vingar, porém, Lev consegue ajudá-la mais uma vez.

O ciclo chega ao fim

Last Of Us 2 | The Farm - The Farm (Ellie) Story Walkthrough ...

  Depois de todos esses acontecimentos, temos um momento de descanso, com Ellie vivendo em paz com a Dina e seu filho. Porém, Ellie alucina com a morte de Joel, percebemos então que ela ainda não conseguiu deixar passar, e está com PTSD. No outro dia, Tommy aparece e diz ter achado a Abby, em Santa Barbara, ela inicialmente recusa, deixando Tommy irritado. Entretando, durante a noite, Ellie acorda, vai em outro quarto, e podemos ler o diário dela, entendendo melhor como ela vive com seu PTSD, depois ela pega o violão e toca uma música, temos um flashback. No flashback, vemos o romance de Ellie e Dina, e como Ellie vem tratando o Joel, onde ela grita e reclama com ele ao ser protegida do Seth. Assim, saindo do flashback, Ellie pega a jaqueta de Joel e se prepara pra sair da fazenda, Dina acorda e tenta convencê-la a ficar enquanto chora, mas Ellie vai qualquer forma. Logo depois, vemos Abby e Lev em busca dos vagalumes em Santa Barbara, em uma casa, encontram um rádio, e por ele conversam com um vagalume, descobrindo que eles estão se reunindo em Santa Catalina. Porém, ao sair da casa, ambos são atacados e capturados pelos rattlers, trocando para Ellie novamente. 

  Assim, em seu caminho, Ellie cai em uma armadilha, pega informações sobre Abby com os rattlers, descobrindo que Abby está em uma prisão. Então, passando por vários rattlers no caminho, ela chega na prisão e acaba soltando os prisioneiros, mas Abby não está entre eles, então ela avança para a praia, encontrando várias pessoas crucificadas. Entre elas, está a Abby e o Lev, a Ellie os tira dessa situação e os acompanha até um barco, mas ela tem um breve flashback da morte de Joel, e diz para Abby que não pode deixar isso passar, ameaçando matar Lev e a obrigando a continuar nesse ciclo. Temos então uma luta de pura brutalidade e selvageria entre as duas protagonistas, até mesmo custando dois dedos da Ellie, e finalizando com ela afogando a Abby, porém, enquanto faz isso, ela tem um breve flashback de Joel tocando violão, para o que está fazendo, e deixa Abby ir embora. Depois disso, vemos Ellie de volta à fazenda, mas todos os móveis estão sumidos, Dina foi embora por causa da obsessão de Ellie. Então, ela sobre e tenta tocar Future Days no violão, mas não consegue, então, temos o último flashback do jogo, nele vemos o Joel falando que mesmo que tivesse uma segunda chance, ele salvaria a Ellie de qualquer forma, ela o responde dizendo que talvez não consiga perdoar ele por isso, mas quer tentar. Assim, saindo do flashback, vemos Ellie indo embora da fazenda, após perder tudo que ela tinha, e o jogo chega ao fim. 

   A forma que mostraram que Ellie não consegue deixar passar é ótima, vemos uma cena onde ela está vivendo uma vida feliz, e ficamos inquietos, por não fazer ideia do que aconteceu com Abby e a vingança de Ellie, e quando ela alucina com a morte de Joel, passa uma dúvida do que virá pela frente, que é tirada quando ela lê o diário, após a vinda do Tommy. Além disso, no momento que vemos o flashback do beijo de Ellie e Dina, entendemos de fato a jornada da Ellie, ela não queria apenas a vingança, ela queria se reconciliar com o Joel, ela não perdoava si mesma por ter o tratado mal antes da morte dele, por ter entendido mal a situação do Joel, ela se prendia na imunidade como o significado de sua vida, mesmo que Joel houvesse dado um novo significado a ela, que ela jogou fora. Já na visão da Abby, vemos como ela está pronta a deixar tudo aquilo passar, como ela segue em frente com o Lev, não em busca de voltar ao passado com os vagalumes, mas sim em busca de um novo começo. 

  Entretanto, o ciclo ainda não teve um fim, Ellie não consegue deixar passar e faz de tudo para chegar até Abby, acho o pacing dessa parte meio ruim, botou mais combate que o necessário, deveria ser algo um pouco mais direto, isso acaba dando um relaxamento em relação ao clímax da obra. Assim, chegamos de fato ao final do jogo, que considero um dos melhores já feitos, a luta de Abby e Ellie é selvagem e até mais impactante que a do teatro. Nessa luta, vemos que assim como Abby, Ellie se perdeu no próprio ódio(até mesmo usando a mesma fala de quando Abby ia matar a Dina), mas ao ter uma lembrança de uma boa memória com o Joel, percebe que não se reconciliaria com ele matando a Abby, e consegue se livrar dessa corrente violenta, antes que ela perdesse mais alguém, ela mesma. Na cena da fazenda, Ellie consegue de fato se reconciliar com o Joel, com o flashback de quando havia começado a perdoá-lo, mas mesmo tendo o que queria, ela perdeu todo o resto, ela acabou completamente sozinha, e até mesmo sua conexão com Joel, o violão, havia sido arrancado dela. Esse é o pior final que Ellie poderia ter, assim como ela diz no primeiro jogo, o seu maior medo é de acabar sozinha, e foi isso que aconteceu. Na cena final, temos uma dúvida, não sabemos pra onde ela está indo, mas considerando que a câmera deu um foco pro violão e Ellie andando de costas pra ele, minha interpretação é de que ela está seguindo com sua vida, e mesmo perdendo tudo, conseguiu, finalmente, deixar todo esse ciclo e situação com o Joel passar.

The Last Us Part 2 Ending Explained – Here's What Happened And Why ...

  Meu texto mais ambicioso para o jogo mais ambicioso da Naughty Dog, espero que tenha gostado da leitura, e sinta-se livre para discordar de qualquer coisa que falei.

Postar um comentário

0 Comentários