TokuTalk #03 - Kamen Rider Faiz: Os Fins justificam os meios!


  Muitas vezes em uma série de super heróis ou nos próprios tokusatsus, existem episódios que um monstro que aparece não é especificamente maligno, como em Kamen Rider Ghost onde um dos Gammas apenas quer pintar, e não machucar ninguém. Porém em Kamen Rider Faiz, temos o ponto de vista dos monstros, e o ponto de vista dos mocinhos.

  Lançado depois de Kamen Ryuki, que dizia que não é por você ser um Kamen Rider que você é especificamente uma pessoa do bem ou um herói, temos Kamen Rider Faiz que trata do fato de que nem todos os monstros são realmente malignos. Uma série em que o herói não quer ser um herói (pelo menos até certo ponto) e em que o monstro quer fazer o bem. Lançado em 2004 e escrito por Toshiki Inoue, Kamen Rider Faiz é uma história com dois protagonistas: Inui Takumi, um jovem que perseguiu uma garota chamada Mari Sonoda achando que a mesma estava com sua maleta de viagem; e Yuji Kiba, um jovem que perdeu tudo em um acidente e por um motivo misterioso renasceu e se tornou um Orphenoch.

  Óbvio, a série não foca somente nos dois jovens, pois existem mais personagens como a própria Mari, que é filha adotiva do presidente da Smart Brain, uma empresa que criou o sistema Rider de Faiz; Keitaro Kukichi, um jovem com um sonho de ter sua própria lavanderia; Masato Kusaka, o segundo Kamen Rider da série e filho adotivo do presidente da Smart Brain; Yuka Osada, uma garota que sofria bullying de todos e era a decepção da família; Kaidou Naoya, um jovem que sonhava em ser um músico, porém desistiu quando sofreu um acidente que machucou gravemente suas mãos; e Shuji Mihara, um dos estudantes da academia Ryusei que foi colega de Mari e Kusaka.

  Orphenochs são criaturas misteriosas. Na série eles são apresentados como humanos que evoluíram, e tem a capacidade de se transformar em monstros com características animalescas (como Kiba que vira o Horse Orphenoch). Existem duas maneiras de virar um Orphenoch: morrendo, e de maneira espontânea você renasce, ou sendo morto por um e acabar virando, porém Orphenochs feitos por outros Orphenochs são mais fracos. Diferente dos Yummies de Kamen Rider OOO, que agiam pela vontade do dono, os Orphenochs tem total consciência do que estão fazendo e de seus atos. Infelizmente, muitos deles são obrigados a fazer atrocidades para que possam sobreviver. Um exemplo é o Mr J, um homem que só está matando pessoas porque se não fizer isso terá seu cachorrinho chamado Chako, morto. Se um Orphenoch não matar, outros Orphenochs serão mandados para matarem o mesmo. O principal culpado disso é a Smart Brain, especificamente o novo presidente que quer que os Orphenochs reinem, e que quer reviver o Orphenoch King.

  Óbvio que em Faiz não faltaria os antagonistas, que no caso é o Lucky Clover, eles são quatro Orphenochs extremamente poderosos. Seus integrantes são: Mr.J, que sua habilidade é reviver três vezes; Kitazaki, que na série é o  mais forte, tanto que só de tocar em alguma coisa ou em uma pessoa a mesma vira pó instantaneamente; Takuma, um forte Orphenoch que utiliza seu chicote; E Saeko, que usava o seu vinho para matar suas vítimas  (o que é um poder bem esquisito). Diferente de Mari, Mihara e do resto do grupo da academia Ryusei, Kusaka ainda lembrava da noite em que todos eles foram atacados por Kitazaki. Sim, todos do grupo tinham sido mortos para fazer um tipo de teste, onde implantaram células dessas criaturas nos cadáveres e então fizeram os mesmos renascerem, porém não como Orphenochs, eles pareciam ter voltado a serem só pessoas comuns, mas com essas células no corpo podiam usar o sistema Rider.

  Na série, existem três cintos: o Faiz, Kaiza e Delta, onde os dois primeiros são mais usados para combate corpo a corpo, enquanto o Delta é usado para ataques de longa distância. O curioso é que na série não são somente os protagonistas que usam os cintos, os próprios Orphenochs e até mesmo outros personagens da série  (como o Kaidou e o Kiba) também usam. O único cinto problemático é o Kaiza, que na maioria das vezes matou seus usuários depois da primeira vez utilizada, onde Kusaka é uma exceção a regra. O cinto Delta permitia que o usuário depois de usar, ficasse com uma parcela dos poderes mesmo sem o cinto, porém acabava deixando a pessoa louca por mais poder.


  Por ser uma série mais sombria, Faiz tem poucos momentos de humor e que realmente façam te dar gargalhadas. Muitas pessoas consideram a série com um estilo mais puxado para uma novela por ter muitos casos de intrigas amorosas e o tal romance proibido de um humano e um Orphenoch. Mesmo tendo muitas partes meio novelísticas, ela acabam sendo bem divertidas e algumas ajudam a desenrolar melhor certos personagens. 

  A trilha sonora de Faiz é algo impecável, composta por músicas extremamente frenéticas até músicas calmas, passando por algumas mais tensas e algumas mais melancólicas. As músicas de batalha que fazem você até querer dançar de tão boas que são. A abertura também, tem uma ótima música. 

  Infelizmente nem tudo é um mar de rosas e Faiz tem alguns furos e problemas na série, como a questão do grupo Ryusei ter sido atacado por Kitazaki, e não terem sidos transformados em pó por ele no primeiro toque, por ser algo que ele não controla então deveria acontecer obrigatoriamente. Também tem o problema de que eles simplesmente jogaram para escanteio a característica do cinto Delta que fazia os usuários ficarem loucos e com o poder do cinto. Outras coisas são mais confusas que problemáticas, como nunca sabermos quem a Yuka realmente gosta (mesmo sendo mais óbvio que fosse o Keitaro), mas isso não é tão relevante a história. Infelizmente Kamen Rider Faiz teve seu episódio final como um cliffhanger massivo, onde demoraram dez anos para fazer um especial que explicava o ocorrido no final da série, e era a última coisa que você pensaria. 

  Mesmo tendo seus problemas, Faiz é uma ótima série e o fato de ter dois protagonistas que são o oposto um do outro é algo bem interessante, e as batalhas de Faiz também são muito bacanas. Takumi não tem sonhos, mas pode proteger sonhos! Essa é a mensagem dele para aqueles que ousam acabar com a vida de inocentes! E lembrem-se:

Os fins justificam os meios!

Postar um comentário

0 Comentários