Kamisama ni Natta Hi #1 - A deusa do fim do mundo!


O que você faria se soubesse que o mundo vai acabar daqui 30 dias? Será que é isso mesmo ou estamos vendo uma metáfora para algo mais profundo?
É com essa premissa simples que Kamisama ni Natta Hi, um dos novos animes originais da temporada de outono. Embora aparente ser bobo, esse anime promete muito drama e lágrimas conforme forem passando os episódios, mas o que pensar disso com uma estreia tão divertida?

  Bom, neste primeiro episódio conhecemos os personagens principais da história, a Hina, uma garota que se veste de um jeito esquisito e que se denomina como o deus Odin, uma deusa onisciente que possui a habilidade de prever o futuro; e Youta, um jovem que está seguindo sua vida comum, estudando para fazer o vestibular e que quer conquistar Izanami, a garota que ama desde quando era mais novo. Ao se encontrarem, Hina diz que o mundo vai acabar em trinta dias, no fim do verão, e decide ficar na casa de Youta enquanto o garoto vê diversas demonstrações de sabedoria/premonição da garota, passando a questionar se ela é mesmo algo além de uma criança querendo atenção e se o fim do mundo é real.

  Eu não esperava nada muito promissor desse anime, acabei escolhendo apenas por ver que tinha muita gente comentando sobre ele e confesso que quebrei a cara bonito. Me arrisco a dizer que esse primeiro episódio me fez dar muita risada, nem lembro quando eu achei um anime tão divertido em um bom tempo. A forma como o roteiro foi construído é super suave, consegue te deixar sempre na dúvida se ela é de fato uma deusa ou se isso é alguma metáfora pra outra coisa, quase dando uma pincelada de seriedade a trama, ao mesmo tempo que o humor é muito bem feito, sem parecer forçado. Tá certo que não é lá algo tão inovador e complexo, mas foi um primeiro episódio ok para um anime de comédia, então tá tranquilo. E pelo que andei pesquisando, a comédia vai acabar em breve e virar um grande drama, então vamos ver o que acontecerá.


  O que mais me chamou atenção não foi nem o enredo em si, até porque ele é bem simples, mas sim os personagens, eu amei todos, sem exceção. O destaque do episódio são claro, os protagonistas, a interação entre eles é muito natural e divertida, principalmente as piadas do Youta vendo as ações de grandiosidade da Sato, e tratando ela como uma criança que ela de fato é, fazendo com ela respondesse de maneira carinhosa e logo após irritada ao perceber que saiu do personagem, esses pra mim fora os melhores momentos do episódio. As reações dele aos momentos de premonição dela também são muito engraçados, por mais óbvios que alguns sejam, como ela perceber que ela era apaixonado pela Izanami ou então saber que vai chover ou que não deviam pegar o ônibus. Falando nela, a Izanami não é lá uma personagem muito carismática agora, só serviu para aparecer com um clássico arquétipo de interesse amoroso que aparenta estar desconexa a realidade e age de modo frio com tudo, então não acrescenta muito ao episódio.

  A Sato é uma personagem realmente intrigante. Dependendo de como o autor resolver trabalhar o anime, temos diversas nuances e caminhos que podem ser seguidos para explicar mais sobre a personagem, e pelo que ouvimos falar do autor, já dá para ter uma ideia do que esperar. Estamos falando de Jun Maeda, mesmo autor de Angel Beats e de Clannad, o primeiro inclusive eu já vi, é um autor com um padrão de conseguir transformar animes aparentemente bobinhos em grandes dramas, então além de estar ansioso estou com um pouco de medo do que está por vir. Com o histórico do Maeda, eu só consigo imaginar que a Sato é uma garota problemática que perdeu os pais e por algum motivo pesado ela acabou ficando desse jeito, até pela forma com que a mãe do Youta aceitou que ela fosse pra casa deles, como se já conhecesse a garota, o que talvez explique porque ela foi especificamente até ele. Vou acabar chorando nessa temporada, é isso?

  O visual do anime acaba agradando bastante. O jeito como as cenas foram construídas contribuem para o envolvimento do espectador com a narrativa, deixando os momentos cômicos ainda mais cômicos e os pequenos toques de seriedade se fazendo presentes e críveis, a forma como os personagens conseguem ser mostrados de maneira fluída também são muito agradáveis, então tivemos uma estreia praticamente perfeita nesse quesito. Outro ponto que também ajuda nessa ambientação é a trilha sonora, ainda não vi nada sobre a abertura, vou deixar para ver no segundo episódio para matar a surpresa, mas a forma como a trilha sonora foi encaixada no episódio te faz ficar muito envolvido ao que está acontecendo em cena, além do encerramento que eu gostei bastante, uma música muito agradável para encerrar com chave de ouro a experiência com essa obra


  Enfim, eu não entendi porque o anime estava na categorizado como drama no My Anime List, porém depois de pesquisar mais sobre o autor, como eu disse mais acima, eu fiquei um pouquinho assustado. Acho que dá pra dizer tranquilamente que, caso Jujutsu Kaisen vacile, esse aqui será o melhor anime dessa temporada. Embora tenha esse começo aparentemente feliz e com cara de comédia genérica, o que talvez faça muita gente torcer o nariz para ele, esse histórico do autor promete um grande drama muito bem construído vindo por aí, então eu super recomendo que peguem o anime para assistir e preparem os lenços.

Postar um comentário

0 Comentários