Tate no Yuusha e o Desperdício de Personagens


  Opa!
  Eu sou o Seven e você está no A Magia da Opinião, a série de textos onde eu falo minha opinião sobre temas relevantes da cultura geek, e hoje eu quero falar sobre Tate no Yuusha, estamos com a segunda temporada saindo em breve, então nada melhor do que criticar um anime que está voltando a ficar em alta, né?

  Mas não é sobre a obra como um todo que eu quero falar aqui. Eu acho ela uma obra mediana, mas o principal ponto da minha crítica sobre ela é o desperdício de personagens com potencial, principalmente os Quatro Heróis Cardinais, que eu queria dar bastante foco aqui. Temos o protagonista, Naofumi Iwatani, que eu particularmente acho bem ruim; o Herói da Espada, Ren Amaki; o Herói do Arco, Itsuki Kawasumi e também temos o Herói da Lança, Motoyasu Kitamura.

  Começando pelo Naofumi Iwatani, nosso protagonista. Como eu disse, eu acho ele bem ruim, vejo ele com as mesmas características do protagonista de Arifureta, ou seja, o cara que leva ao pé da letra a frase "Antes eu sofria, agora eu sou fria". Ele é o cara que foi completamente excluído da sociedade simplesmente por portar um escudo na mão, o que é completamente ridículo, e parece muito um elemento que o autor usou pra viabilizar um protagonista que é oprimido, torturado, acusado e tudo mais, e isso já me faz pensar que ele é um protagonista ruim, o autor usa elementos de roteiro pra viabilizar truques baratos que façam ele parecer bom.

  Mas, tirando ele, temos os outros três. Começando pelo Ren Amaki, o Herói da Espada, que eu considero um exemplo de personalidade interessante desperdiçada. Um personagem cabeça fria, calmo, só que ele tenta ser típico esteriótipo de personagem descolado, mas é do tipo que percebe que errou e tenta se redimir, só que essa redenção poderia ter sido trabalhada muito melhor. Além disso, muita gente não consegue ver isso pela parte do exagero criado no personagem: o autor transformou o Ren em um Kirito da deep web, sendo que o Kirito em si já é bem ruim. Desculpa, SAOfags


  Bem, continuando, temos o Herói do Arco, Itsuki Kawasumi, outra personalidade e conceito muito interessantes que são jogados no lixo por um motivo que será detalhado no final deste post. Ele é um cara extremamente arrogante e acha que é superior a tudo, não é exatamente do tipo irritante, mas seu orgulho e teimosia ao não mudar de opinião sobre as pessoas é muito claro. Tudo isso faz parte do conceito que o autor criou do Itsuki ser o cara que sofreu bullying na infância e que agora não deixa as pessoas crescerem em cima dele. Eu acho isso um conceito muito interessante, mas isso não tem impacto nenhum. 

  Literalmente, o autor fez com que esse conceito incrível que o Itsuki tem não fosse relevante para a obra e nem trabalhado mais a fundo. Esse é o desperdício mais claro dos três; o Itsuki tinha tudo pra ser um ótimo personagem, principalmente se ele tivesse um arco de redenção, mesmo que pequeno.

  Por fim, Motoyasu Kitamura, o Herói da Lança, que é um gado, mas que poderia não ser. Podia ter sido melhor aprofundado com a personalidade dele de "mulheres são rainhas", criando um momento de virada na história dele que gerasse essa visão no personagem, mas isso foi descartado pelo autor, provavelmente pois ele queria que o público odiasse o Motoyasu. Bem, funcionou, todo mundo odeia ele. Mas, mesmo sendo o menos desperdiçado dos três, ele é o único que tem arco de redenção, o spin-off The Reprise of the Spear Hero mostra isso.

  Mas, e os motivos disso tudo?
  Eles são simples.

• O anime tem 24 episódios. Não tem espaço pra focar na história do protagonista e em tantas redenções ao mesmo tempo.
• O autor simplesmente quis criar um ódio contra esses heróis simplesmente pra criar satisfação ao ver o Naofumi dando lição neles.

  Só que, o que custava puxar essas lições pra mais cedo na obra e cortar um pouco de tempo de tela do protagonista que tem excesso de foco e colocar alguns episódios nesses personagens? Essa é a minha questão, e ela provavelmente nunca será resolvida. Eu acho que Tate no Yuusha melhoraria se não desperdiçasse esses três que tinham potencial.

  E vocês, o que acharam disso? Concordam? Acham que podia ser diferente, tem sua própria visão da trama?
Pois deixem aqui nos comentários, vamos discutir!

Postar um comentário

2 Comentários

  1. Concordo plenamente, esse negócio de apenas 1 herói ser útil e os outros 3 serem totais patetas é muito chato cara, ainda teve uma hora ali que eu achei que ia desenvolver melhor o herói da espada. Porém isso nem é o que mais me incomoda nessa obra, mas sim o fato de que a obra não se decide, ela começa quase como um seinen, com temas bem interessantes de política, religião, estupro e traição, mas tem uns episódios qeu são totalmente infantis, e vão enfiando cada vez mais lolis sem graça, que agonia disso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 100% com a sua opinião! É exatamente o que eu penso da obra.

      Excluir