Review - Robotics;Notes Elite (PS4)


  Robotics;Notes é um slice of life com sci-fi, é uma sequência indireta de Steins;Gate, e o terceiro título da Science Adventure (franquia composta por visual novels com ";" no meio). Foi lançado em 2012 para o Japão, e em 2014 foi lançado o elite, a versão definitiva do mesmo, que corrige problemas de pacing, adiciona cenas animadas em momentos específicos, e melhora os modelos 3Ds. Porém, o jogo só recebeu uma tradução oficial para o ocidente em 2020, lançando em um double pack, junto com a sua sequência direta, Robotics;Notes DaSH (DaSH = Daru the Super Hacker).

Aviso: Este texto não terá nenhum spoiler de Robotics;Notes, apenas irei contextualizar o começo do jogo e os personagens, caso queira jogar sem saber nada, não leia o texto 


História e Narrativa 

  O prólogo de Robotics;Notes é um trecho do final, e a forma que, em cerca de dez minutos, ele consegue introduzir todos os personagens nas entrelinhas é simplesmente incrível, você percebe que tem personagem mais animado, mais ansioso, mais otaku, mais formal, que gosta de previsões do tempo, e principalmente, você tem a base do desenvolvimento e vontades do protagonista, Kaito Yashio.  


  Depois de prólogo, o mundo começa a ser introduzido, mostrando que o jogo se passa na ilha Tanegashima, em 2019, onde o Kaito faz parte do clube de robótica com a amiga de infância dele, Akiho Senomiya. Akiho ama robôs e tem o sonho de terminar o GunBuild-1, o robô que o clube está fazendo há nove anos. Já o Kaito, apesar de que esteja no clube de robótica não liga para robôs, ele quer ser o melhor jogador de Kill-Ballad (um jogo de luta baseado no anime Gunvarrel) do mundo e passa maior parte do tempo jogando, ele apenas está no clube por causa de uma promessa que fez para a irmã da Akiho, Misaki Senomiya. Ao longo da história, vamos seguindo a vida normal de Aki e Kai, enquanto vão construindo o robô e conseguindo mais membros para o clube, Subaru Hidaka, Kona Furugoori, e Junna Daitoku. Porém, Kaito acaba encontra algo chamado Kimijima Report, e por isso se envolve em diversas conspirações e percebe que o futuro da humanidade está em jogo. 

  A mensagem que o jogo passa é sobre sonhos, como que sempre terão obstáculos no caminho, e que é necessário persistir para alcançar seus objetivos, e a narrativa consegue passar isso muito bem, pois o slice of life encaixa perfeitamente com isso. Cada personagem tem uma rota, e o desenvolvimento de todos eles é ótimo, dá pra entender muito bem qual o objetivo de cada um e como eles pretendem superar os obstáculos, é o meu cast preferido da franquia. O Kaito também é um ótimo protagonista, ele é um personagem amável, mas tem seus problemas que serão desenvolvidos ao longo do jogo de forma bem humana. 

  Em questão de escrita, Robotics;Notes é bem consistente, as únicas coisas que tenho a reclamar são algumas conveniências e uso de plot armor (mas isso acontece tão pouco que mal posso considerar um ponto negativo por si só). Além disso, a escrita no geral compensa bastante, os plots são muito bons, se desenvolvem naturalmente e fazem sentido dentro da narrativa. Já em questão de pacing, acredito que poderiam ter alguns trechos menores ou cortados, e as vezes há mais texto do que o necessário pra entender algo, não acho que demore muito pra engatar, mas para quem não gosta de slice of life e quer ver as conspirações e sci-fi, provavelmente vai achar bem lento.


Gameplay

  Sendo uma visual novel, o foco é mais no enredo e a gameplay servirá para branching, normalmente o gênero usa escolhas binárias pra isso, mas os jogos da Science Adventure costumam tentar algo diferente. No caso de Robotics;Notes, temos o Phonedroid Trigger, onde podemos responder os membros do clube de robótica no Twipo(Twitter), olhar a área e pegar geotags (Anotações em Realidade Aumentada) pelo IRUO., e jogar o Kill-Ballad pelo Kai (em alguns momentos usam essa mesma gameplay para lutas). Por mais que a gameplay seja mínima, gosto bastante dessas interações, é bem divertido interagir pelo Twipo, e tem várias referências a Steins;Gate e Chaos;Head (você pode ler posts do Daru, Takumi e da Kurisu), além de que jogar o Kill-Ballad pelo Kai te deixa mais imerso e pode te aproximar um pouco mais do personagem. Gosto da forma que usam o IRUO, em alguns momentos da história também te deixa mais imerso.


  Porém, apesar de gostar das interações, o Twipo trigger foi mal implementado, você tem que dar algumas respostas bem específicas para conseguir os "finais" corretos, e é muito difícil de fazer isso sem um guia. Além disso, o jogo segue uma rota linear, então os finais do jogo na verdade são em ordem cronológica e são apenas capítulos focados em certo personagem, mas em vez de deixar você apenas seguir essa ordem, decidiram usar um sistema de branching, então se você errar as respostas do Twipo, você pode acabar pulando do capítulo cinco para o oito por exemplo, então se você jogar sem guia, provavelmente vai ficar completamente perdido, e isso é uma péssima decisão de game desing. Apesar disso, gosto de como inseriram os bad endings, faz sentido e não é uma escolha binária comum, é através do sistema de luta do Kill-Ballad.


Produção e localização

  Robotics;Notes Elite segue uma estrutura mais tradicional do gênero, porém, em vez de usar sprites 2D ele usa modelos 3D animados, background 2D, e em alguns momentos conta com CGs 2D comuns e cenas do anime. Os modelos 3D são bem polidos e gosto deles, ainda mais se levar em conta que R;N usa temas como robótica e Realidade Aumentada, então o 3D casa muito bem com o Sci-Fi. Os backgrounds e as CGs também são lindos (provavelmente as melhores da série), e as animações são muito boas e muito bem usadas, isso aumenta bastante a imersão nos momentos que aparecem e eu adoro esse modelo, acho bem melhor que a estrutura 100% animada de Steins;Gate Elite. Além disso, a trilha sonora do jogo é incrível, tanto a ending e openings (inclusive, a opening original toca em um trecho do jogo) compostas pelo Chiyomaru Shikura, a ending da Phantasm, e as músicas do Takeshi Abo, todas funcionam perfeitamente no momento que são encaixados, e são ótimas músicas.  


  Entretanto, por mais que a produção seja boa, a localização deixa muito a desejar. Apesar que a edição seja boa, e os problemas de tradução não interfiram no pacing do jogo, dá pra se perceber diversos termos (até mesmo alguns que já foram usados ao longo da franquia) que foram mal traduzidos, como o nome do protagonista de Chaos;Head, que era Takumi Nishijou e ficou Takumi Saijyou, ou a famosa frase dele, que era "Whose eyes are those eyes?" e ficou "Whose eyes are those?", o que tira parte do sentido da referência. Além disso, muitas CGs não foram traduzidas, e as que foram, não tiveram uma edição decente, apenas botaram o texto traduzido embaixo do japonês, como se fosse uma legenda.

  Porém, caso jogue a versão da steam, isso pode ser corrigido com um patch do grupo Committee of Zero (Esse patch também corrige alguns problemas do port para o PC, como a falta de suporte a mouse).


Veredito

  Robotics;Notes é ótimo tanto como Sci-Fi, quanto como um slice of life, definitivamente uma das melhores Visual Novels já feitas e faz justiça à franquia, os personagens são ótimos e todos bem desenvolvidos, tem ótimos plots e a escrita no geral é ótima, realmente dá gosto de acompanhar o slice of life e é muito bom desde o início, apesar que demore para começar as conspirações e o sci-fi. O jogo possui problemas de game design e tradução, porém, em escrita é quase perfeito. Tem algumas conveniências mas isso é compensado, no geral considero o segundo jogo mais consistente da franquia.
 
Nota:

Masterpiece


Pontos positivos:

- Introdução forte;
- Plots ótimos e escrita quase impecável;
Um dos melhores casts de personagens que já vi;
- Slice of life muito bom de se acompanhar;
- Interações boas;
- Narrativa ótima;
- Art style bonito, CGs e backgrounds bem desenhados e boa OST;
- Mensagens e temáticas atuais e muito boas;
- Importante para o world building da franquia, que é muito bom.


Pontos negativos:

- Game design;
- Tradução.

Extra: Anime 


  Robotics;Notes recebeu um anime no mesmo ano em que lançou, e assim como a maioria da franquia, é bem inferior ao original, porém, não é um anime ruim, considero um 7/10. A primeira metade foi a pior parte da adaptação, na VN essa seria a parte do slice of life, onde você deveria se apegar aos personagens, e que tem uma ótima escrita para o gênero, além de casar com a mensagem. Porém, no anime essa parte teve muitos cortes, ficando bem chato de se acompanhar, e acaba reduzindo um pouco o apego que se cria aos personagens. A direção é ok, na primeira metade é bem genérica, e tem alguns cortes bem ruins, mas dá pro gasto. A animação é inconsistente, tem cenas bem animadas, mas também tem muito quadro estático, já na segunda metade ambos ficam melhores e mais consistentes, por ter um tom mais sério, mas ainda não são nada de especial. 

  Quanto aos personagens, ainda dá pra entender os que realmente recebem um foco, como a Airi, Junna, Kona e Akiho, mas perdem um pouco de profundidade e alguns arcos são meio corridos, já no caso do Kaito e do Subaru, perdem boa parte de seu desenvolvimento e aprofundamento, não dá pra entendê-los tão bem assim e não chegam nem perto do que realmente são, principalmente o Kaito. Os plots tem muitos cortes, mas como são feitos de maneira apressada, se não prestar muita atenção pode ficar meio confuso e jogado na trama. Mas apesar de todos os problemas, a essência de Robotics;Notes ainda está presente e é possível que goste bastante caso o assista antes (porém não recomendo de jeito nenhum fazer isso, a experiência com a VN é bem melhor), e caso já tenha visto o anime, recomendo procurar a VN, tem muita coisa melhor explicada e desenvolvida e é realmente muito melhor.

  Enfim, esse foi o texto, espero que tenha gostado da leitura, e que tenha se interessado por Robotics;Notes, é realmente um ótimo jogo que merece muito mais reconhecimento. El Psy Kongroo.

Postar um comentário

1 Comentários